Traffic Shapping – sua conexão lenta em horários programados!

Uma prática muito comum porém negada pelas provedoras de acesso à internet. Conheça o Traffic Shaping, e saiba porque a sua conexão com a internet fica lenta em certos horários.

Os usuários que normalmente utilizam a internet para navegar, pesquisar, ver vídeos no youtube; não percebem isso ou não se preocupam, porém, dentre eles, uma pequena parcela de usuários que fazem grandes downloads ou uploads na rede, devem ter notado que em certos horários a conexão dica um pouco lenta e sobrecarregada. Segundo estimativas, 10% dos usuários que utilizam a internet no Brasil são responsáveis por 80% do tráfego de dados, sobrando assim somente 20% para quem só quer navegar (a grande maioria – 90% dos usuários).

Por isso, as provedoras de acesso à internet – ISP (Internet Service Provider), começaram a limitar a banda para certos protocolos que usam mais a rede, como o protocolo de transferência de arquivos, P2P (peer to peer) e FTP (File Transport Protocol), prejudicando então programas com utorrent, emule, que utilizam estes protocolos para enviarem arquivos. Outros provedores inclusivem baixam a banda de download do cliente que “passa da cota”.
Esta prática é chamada de Traffic Shaping, ou, modelação de tráfego em português. Os provedores, apesar de negarem a prática por ser ilegal, fazem e escondem muito bem a forma como é feito. Mas isso acontece para garantir que a maior parte de sua rede, que não utiliza esses protocolos de transferência ou não fazem downloads pesados, possa ter um acesso tranquilo a seu email, aos blogs que lê e até mesmo poder ver alguns vídeos no Youtube.

Percebeu o que aconteceu? O autor do vídeo mostrou o uso do programa utorrent, e ele utiliza um link da GVT de 2MB. E exatamente as 20:00 horas, “milagrosamente” como ele enfatiza, a conexão com a internet dele sobe ao máximo (2MB = 250KB/s), visto que este horário poucas pessoas estão usando, então sobra banda. A Speedy, serviço de banda larga da telefônica, garante apenas 10% da conexão contratada!!

Como saber se eu sou vitíma de traffic Shaping?

Vamos testar a nossa conexão para constatar se estamos sofrendo com Traffic Shaping. Existe o projeto Glasnost que testa sua conexão atrás de limitações de banda em protocolos pesados, como o P2P e FTP. Basta visitar a página do serviço neste link e clicar no botão “Start Testing”.O teste dura aproximadamente oito minutos e verifica se a provedora limita acesso ao protocolo BitTorrent. Caso comprovemos que o traffic Shaping está ocorrendo, nós podemos alterar algumas configurações para passar despercebido pelas operadoras…

Burlando o traffic Shaping! hehehehe!

Criptografia é a nossa ferramenta ideal neste caso, pois desta forma, fica praticamente impossível para as provedoras saberem que nós estamos baixando algo. Porém, isso pode variar de programa pra programa, veremos os dois mais usados:

BitComet
primeiro, vá ao menu “Option”. Depois clique em “Preferences”, “Advanced”, “Connection”, e marque a opção “Protocol encryption”.

BitTorrent e uTorrent:
Primeiro, vá ao painel “Preferences” e lá escolha a aba “BitTorrent”. Clique em “Protocol encryption” e marque a opção “Enabled”.

Lucas Peperaio

Lucas Peperaio

Estudante de Ciência da Computação, trabalho com desenvolvimento web há 5 anos e com hardware há 8. Nas horas vagas, sou entusiasta de Overclock, Casemod e Benchmarks, além é claro dos Games. Apaixonado por informática e pela vida, procuro compartilhar meus conhecimentos e assim, ajudar as pessoas. Siga-me no youtube, posto semanalmente muito material sobre Hardware, tecnologia e games em geral: Clique aqui

Receba gratuitamente em seu E-mail
Novos artigos do meu Blog!


Após o Cadastro você receberá um Email Automático. Clique no link enviado para Ativar e receber as novidades.

Categorias do site





6 Comentários Deixe o seu

  1. Gustavo

    Oi Lucas,´ É, é dureza. Também sou vítima de TS (Oi-Velox – RJ) e já desisti de usar o meu cliente utorrent na configuração padrão. Mesmo com a criptogtrafia ativada, não adianta. Isso quem diz são os próprios caras do fórum do utorrent, e cada vez que alguém comprova ser vítima de TS, eles dizem que não há nada a fazer, exceto algumas medidas paliativas, como por exemplo, limitar a banda no próprio cliente, usar a função de agendamento do cliente (liga e desliga em determinados horários. Eu sou fã desse recurso do agendamento, pois assim consigo rodar dentro dos meus limites, que são bem melhores do que aqueles impostos pelo TS da operadora. Quando a operadora me limita porque eu estou rodando sem limite de banda, a minha velocidade cai para limites ridículos como 4 KBps. QUando sou eu a limitar, consigo rodar com 50KBps (para uma conexão de 150 KBps). Para mim está bom, consigo baixar e distribuir sempre o que baixo, rodo 24×7 e, pensando bem, também não precisaria de muito mais (não tem tanto filme assim que eu queira ver, e só baixo aqueles que eu tenho certeza que são bons) Quanto a essa estória de pagou, tem direito a usar a banda toda, tenho as minhas dúvidas (eu sei, esta posição é totalmente polêmica, mas é o que eu acho, e os próprios caras do bittorrent já estão tendo uma posição mais conciliadora com as operadoras, tipo desenvolvendo novos protocolos que diminuem o impacto no uso da banda – protocolo utp). Abraço

    • Lucas Peperaio

      Olá Gustavo. Em um fórum de tecnologia, eu debati com alguns participantes vitímas de TS a procurarem os seus direitos na justiça, visto que, isso fere algumas leis vigentes em nosso país. (propaganda enganosa, danos morais…).

      Recomendo que faça o mesmo
      abs

  2. Gustavo

    Obrigado pela oportunidade de expor as minhas idéias a respeito do assunto, Lucas, mas eu ainda não estou muito certo de que o traffic shapping seja uma (total) violação por parte das operadoras. Acho que, se haverá situações de operadoras que inviabilizam completamente a prática de file sharing, outras, como a minha (nunca pensei que fosse algum dia “defender” a Oi :), porque já me estressei muito com eles…) me permitem o uso, dentro de certos limites (como os que eu mesmo me impus, conforme expliquei acima). Ainda mais que no contrato que eu tenho, está claro que é vedada a prática de file sharing. Ou seja, sem abuso, dá pra levar. Aos que me criticam pela atitude “mansa”, essa atitude não vem do acovardamento frente à operadora, mas por repensar a atitude “devoradora” de banda – e muitas vezes sem grande utilidade. Acredito que que esse “abuso” a que me refiro insere-se também na mesma atitude “consumista”, “voraz” e de “desperdício” que hoje é tão repensada quando se trata do consumo de produtos concretos. Também não acho que o elevado custo da banda larga deva ser usado como reforço ao argumento “pagou, usa”. O custo elevado é outro problema: econômico e político, somos uma país, por incrível que pareça, ainda com um mercado pequeno, e isso por uma enorme desigualdade de distribuição de renda. Mercado pequeno = custo elevado. A briga por abaixar o custo é em outra esfera, e acho que a enorme concorrência não ajuda tanto assim na medida em que ela não aumenta o mercado, apenas reduz a fatia de cada empresa, o que, em última análise, justifica a péssima qualidade dos serviços. Enfim, entendo que sou uma voz dissonante, mas, mais uma vez, agradeço o espaço concedido. Se tiver curiosidade e algum tempo, dê uma olhada no meu site, lá compilei e traduzi algumas discussões entre um especialista e o pessoal do bittorrent, que dá um pouco uma visão diferente da questão. Só digo o seguinte, mesmo nos países em que o custo é baixo, os mercados são muito maiores, o TS é praticado do mesmo jeito, senão até de forma mais agressiva. É por isso que acho que aqui no Brasil, se aprofundarmos a discussão em termos que fujam da clássica demonização das operadoras, talvez pudéssemos obter alguma coisa diferente a nível mundial. Fica o desafio. Abraço

  3. Lucas Peperaio

    Eu que agradeço a colaboração ao meu singelo blog, pela quantidade de informação que você pode nos ofereçer. Faço questão de colocar um link nesta matéria para o seu site para complementar o assunto.

    Até mais

  4. Gustavo

    Valeu Lucas!

    Linkei tb o seu site num post de hoje em que menciono este nosso diálogo.

    Vamos pesquisar mais sobre estas questões.

    Abraço.

    PS.: Seu blog tá muito bom, bem didático e muito bem apresentado. Continue atualizando.

  5. Gustavo

    E aí, Lucas, tudo bem? Você pode atualizar o link do meu blog? Mudei-o para o wordpress. Obrigadão