Hacker de 19 anos conta como fraudou as eleições municipais de 2012 no Rio de Janeiro

Hacker conta como fraudou as eleições municipais do Rio de Janeiro em 2012

Durante o seminário “A urna eletrônica é confiável?” que ocorreu em dezembro de 2012 no auditório da Sociedade de Engenheiros e Arquitetos do Rio de Janeiro (SEAERJ), um Hacker de 19 anos – identificado como Rangel – contou como conseguiu acessar o sistema do TSE e fraudar o resultado das eleições municipais de 2012 no Rio de Janeiro. Segundo Rangel, é possível alterar o resultado das eleições “interceptando os votos no momento em que eles são enviados das urnas para o sistema que contabiliza os votos”. O rapaz vive sobre proteção policial e afirma que não agiu sozinho.

Acompanhado por delegados de polícia, especialistas em transmissão de dados, palestrantes e políticos, “Rangel”, assim identificado por questões de segurança, contou que – através de acesso ilegítimo e privilegiado à intranet da Justiça Eleitoral no Rio de Janeiro – interceptou dados do sistema de totalização, conseguindo retardar o progresso do envio, e assim modificando os resultados. Oficialmente, nada foi detectado.

“A gente entra na rede da Justiça Eleitoral quando os resultados estão sendo transmitidos para a totalização e depois que 50% dos dados já foram transmitidos, atuamos. Modificamos resultados  mesmo quando a totalização está prestes a ser fechada”, explicou Rangel, ao detalhar em linhas gerais como atuava para fraudar resultados.

 

Hacker conta como fraudou as eleições de 2012

Fonte: http://www.viomundo.com.br/denuncias/voto-eletronico-hacker-de-19-anos-revela-no-rio-como-fraudou-eleicao.html

 

O seu depoimento chocou até mesmo os palestrantes e especialistas convidados para o seminário, como Pedro Rezende, professor de criptografia da Universidade de Brasília (UnB): “O trabalho do TSE em blindar as urnas brasileiras é ultrapassado e inseguro“. Pedro ainda fez uma comparação com as urnas utilizadas em outros países: “São mais confiáveis, especialmente aquelas que além de imprimirem o voto, registram digitalmente o mesmo voto em um chip embutido na cédula, criando uma dupla segurança“, ressalta.

O assunto “segurança nas urnas eletrônicas brasileiras” é discutido há alguns anos, levando-se em consideração denúncias feitas ao TSE e estudos feitos por especialistas, como Diego de Freitas Aranha, doutor em ciência da computação pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e professor do CIC (Departamento de Computação) da UnB (Universidade de Brasília), um dos maiores especialistas brasileiros no assunto. Em entrevista ao portal G1, Diego conclui: “Não é possível afirmar que o sistema de urna eletrônica é totalmente seguro“.

Diego e outros 24 especialistas foram convidados pelo próprio TSE para fazerem testes de invasão nos sistemas e análise do código-fonte dos softwares, em busca de vulnerabilidades. E como era de se esperar, foram encontradas falhas que, segundo Diego e sua equipe, “permitem a violação do sigilo do voto“.

Lucas Peperaio

Estudante de Ciência da Computação, trabalho com desenvolvimento web há 5 anos e com hardware há 8. Nas horas vagas, sou entusiasta de Overclock, Casemod e Benchmarks, além é claro dos Games. Apaixonado por informática e pela vida, procuro compartilhar meus conhecimentos e assim, ajudar as pessoas. Siga-me no youtube, posto semanalmente muito material sobre Hardware, tecnologia e games em geral: Clique aqui

Receba gratuitamente em seu E-mail
Novos artigos do meu Blog!


Após o Cadastro você receberá um Email Automático. Clique no link enviado para Ativar e receber as novidades.

Categorias do site





9 Comentários Deixe o seu

  1. rogerio

    mas que bobagem, as urnas possuem extratos, que são confrontados posteriormente, além do que transmissão é criptografada e o máximo que o cara fez foi atrasar o envio

    • Lucas Peperaio

      Isso não muda o fato que ele conseguiu burlar o sistema, afinal de contas, o atraso prejudicou candidatos.

      • Hippie

        PJ, I have a hard time with lyrics too. I end up thinking about the words, what they mean, and, then, I get no writing done. I listen to a good many intlsumenrats. Sometimes, though, I like to write in silence. I use the music more when I’m in a noisy environment. Somehow, I can work to my own noise but can’t work to other peoples’ noise.

  2. Adriano Matos

    Muito legal você abordar este assunto, pois estava pensando nele outro dia. O “Rangel” denunciou, explicou como fez, e não vi o assunto ser debatido na grande mídia, ser alvo de investigações… Parece que encobriram o assunto. Fico pensando que vários políticos eleitos acabariam tendo seu mandato cassado, tem alguns que eu não acredito como são eleitos, agora começo a imaginar.

    Se todas as urnas emitissem um comprovante do voto, teríamos uma segunda verificação. A pessoa votaria na eletrônica, que geraria um cupom. Ela lê se o voto dela realmente é o que esta escrito ali. E então deposita na urna, como nos velhos tempos. Na dúvida, recontagem manual… Acho que no inicio algumas imprimiam, mas foi algumas de teste. Não vejo isso acontecendo nas ultimas eleições.

    Nem tudo acontece só aqui. Vi um video no YouTube que nos EUA a urna é touch screen, e mesmo apertando em cima do nome do Obama, a urna não reconhecia. Um pouco mais pro lado, e o voto ia para o outro concorrente… Não tá fácil pra ninguém !

    • Lucas Peperaio

      Pois é Adriano, inclusive em vários países, as urnas eletrônicas geram o comprovante, deixando então uma dupla segurança para o caso de fraudes. A mídia encobre porquê, de uma forma ou de outra, está envolvida com a política, e assuntos que vão contra à eles mesmo de fato não é interessante mostrar. Vai que o povo se revolta e volta a ir para as ruas como antigamente né?

      A mesma coisa acontece na Mega Sena, onde o consumidor recebe apenas um comprovante do jogo, sem o vínculo do CPF ou nome do cidadão. Facilita fraudes.

  3. Rodolfo Diniz

    Não acredito que um dia haverá um sistema incorruptível para os hackers. Sempre surgem gênios que burlam todo e qualquer tipo de segurança, independente de onde e como ela é aplicada.

    Mas o que o “Rangel” conseguiu fazer foi apenas retardar os resultados, né? Não houve influência direta nos resultados, certo?

    • Lucas Peperaio

      Ainda não se sabe, mas segundo o relato do Rangel, com o atraso, uma parcela de votos não foi contabilizada corretamente.

  4. Danielly

    bom minhas palavras são poucas, se houve isso ai mesmo eu quero que além da justiça divina, a justiça da terra seja feita, porque eleição é democracia, é você acreditar e confiar em uma pessoa para responder por você e ir atrás de benfeitorias para todos. Eu sei que tudo vai dar certo, e que a mascara dos “ladroes”, safados e desgraçados irão cair… Cara é corrupção em todo canto, o Mundo está perdido

  5. Felipe

    E tem gente que ainda acredita nessa urna brasileira…