Esta previsto em lei e está em vigor: Você poderá ser cobrado mensalmente por colocar vídeos do Youtube no seu site, facebook e similiares

Orgão ECAD pode cobrar todos que reproduzem vídeos do Youtube em seus sites

O responsável por esta cobrança é o ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), órgão responsável por regulamentar a distribuição de áudio protegido por direito autoral do Brasil. Amparados pela lei brasileira e por cláusulas no contrato com o Google, proprietário do Youtube, o ECAD poderá e já está cobrando blogueiros por reprodução de vídeos em seus sites. Até mesmo se você enviar um vídeo ao seu Facebook, você poderá receber um boleto em sua casa, com valores exorbitantes…

O Google tem um contrato com o ECAD, e paga um determinado valor por reprodução das obras musicais dos artistas brasileiros. Entretanto, o ECAD pode cobrar também dos retransmissores, sites que inserem vídeos do Youtube com músicas de fundo, poderão ser cobrados também. Foi exatamente o que aconteceu recentemente com o site Caligraffiti, um blog sem fins lucrativos, que deverá pagar R$ 352,59 por mês, para ter o direito de reproduzir vídeos do Youtube em seu site, como sempre fizeram…

“Esclarecemos que, toda pessoa física ou jurídica que utiliza músicas publicamente, inclusive através de sites na Internet, deve efetuar o recolhimento dos direitos autorais de execução pública junto ao ECAD, conforme a Lei Federal 9.610/98.”

O ECAD não se limita apenas no Youtube, mas para qualquer tipo de transmissão de áudio pela Internet, sem a autorização dos respectivos detentores dos direitos autorais. Se você inserir um rádio online em seu site por exemplo, você precisará pagar por cada música reproduzida nele.

Ecad

Isto é importante para manter o trabalho dos artistas, pois parte do dinheiro arrecadado vão para eles. Uma rádio, seja ela online ou não, precisa pagar taxas mensais para ter o direito de reproduzir músicas, por exemplo. Entretanto, cobrar de todas as pessoas que compartilham links do Youtube, ou inserem player de áudio em seus sites, acaba limitando a Internet, bloqueando a criatividade, assim como o projeto SOPA, que pretendia acabar com a pirataria no mundo.

Vale ressaltar que, o ECAD é um orgão regulamentado no Brasil, amparado pela lei, estando portanto autorizado a cobrar de qualquer pessoa por reprodução de áudio, de qualquer natureza. Uma dica pra você leitor: Quando for cantar no chuveiro, cante baixinho para “eles” não te cobrarem também por isso…

Fonte: O Globo

Lucas Peperaio

Estudante de Ciência da Computação, trabalho com desenvolvimento web há 5 anos e com hardware há 8. Nas horas vagas, sou entusiasta de Overclock, Casemod e Benchmarks, além é claro dos Games. Apaixonado por informática e pela vida, procuro compartilhar meus conhecimentos e assim, ajudar as pessoas. Siga-me no youtube, posto semanalmente muito material sobre Hardware, tecnologia e games em geral: Clique aqui

Receba gratuitamente em seu E-mail
Novos artigos do meu Blog!


Após o Cadastro você receberá um Email Automático. Clique no link enviado para Ativar e receber as novidades.

Categorias do site





4 Comentários Deixe o seu

  1. Leandro Chaves

    Lucas, O ECAD voltou atrás nessa decisão depois do Google afirmar que o video “embedado” estar sendo transmitido pelo youtube e não pelo blog ou site que está contido e que o ECAD não tem o direito de cobrar do site, já que o contrato entre os dois preve o “embedamento”.

  2. Lucas Peperaio

    Sim Leandro, mas o Youtube é apenas uma das possibilidades, ainda assim se você criar um player de música num site, você terá que pagar por cada música tocada. Ou se você baixar um vídeo do Youtube e transmiti-lo num show, festa, etc também haverá a cobrança

  3. Ukulele

    Capitalismo cruel…! É você acredita que essa grana para nas mãos dos artista? papai noel também existe…!